Noticias  


2014-02-24

Informações recentes passadas por moradores do Complexo do Lins

A criança baleada ontem, uma menina de 7 anos, não corre perigo de vida e já está em casa. Ela foi atingida por policiais da UPP que estariam supostamente “revidando” tiros de traficantes na Cachoeira Grande, na parte alta do Complexo. Tipo de ação que coloca em risco a população em geral e que, na teoria, o novo “policiamento comunitário” das UPPs evitaria, mas como vemos não é bem assim, não só no Lins mas em todas as favelas ditas “pacificadas”. Moradores se revoltaram, apedrejaram viaturas policiais, um conteiner da UPP no Gambá e três ônibus, nas ruas Lins de Vasconcelos e Vilela Tavares. O fogo atingiu fios e transformadores e deixou grande parte da região sem energia elétrica. Moradores dizem que no momento há grande presença da imprensa no cenário de destruição, mas os jornalistas não sobem a comunidade para tomar depoimentos dos próprios moradores. Fica fácil assim fazer uma “cobertura” que só destaca o “vandalismo” mas não busca levantar as causas da revolta.

lins_upp1


Seguimos em contato com os moradores e pedimos a midiativistas se dirijam à região para conversar e entrevistar moradores. Podem procurar Márcia Jacintho, moradora e militante pelos direitos humanos desde que seu filho, Hanry Silva Gomes de Siqueira, foi executado brutalmente por policiais em 2002. Seu telefone é 7792-2665. As fotos são do jornal O Dia.

print

Images:

lins_upp2


lins_upp3