Noticias  


2013-07-08

Mãe de vítima de violência policial sofre com descaso das autoridades em relação ao seu outro filho, que tem paralisia física e cerebral

ona Izildete, há exatos 10 anos, sofria uma das maiores perdas de sua vida: o desaparecimento de seu filho, Fábio Santos. O fato ocorreu num contexto de abordagem policial, na cidade de Queimados, na Baixada Fluminense, em 2003. Desde que denunciou o caso às autoridades e publicamente, incluindo instituições internacionais como a OEA e a ONU, dona Izildete sofreu diversas ameaças. (mais informações, em nosso site: http://www.redecontraviolencia.org/Casos/2003/450.html)

Não bastassem a dor e as dificuldades em função do desaparecimento de Fábio, dona Izildete está sofrendo ainda mais com o descaso que seu filho mais velho, Flávio Santos, que tem paralisia física e cerebral, vem passando nos últimos meses.

Tudo começou quando tiveram que se mudar e o jovem, que não se locomove sozinho em função da paralisia, perdeu o direito ao transporte que o levava tanto às consultas médicas, quanto à escola. Dona Izildete encontrou dificuldades, inclusive, na SuperVia, que vem impedindo o acesso de Flávio a uma estação que se localiza próxima de onde moram. Além disso, Flávio está sem os remédios que costuma usar e tem apresentado um quadro de complicações nas últimas semanas, deixando sua mãe preocupada e muito nervosa.

Isto é, os direitos à saúde, à educação e ao ir e vir de Flávio estão sendo violentados, colocando sua vida em risco.

Solicitamos à imprensa que divulgue esta situação e às autoridades competentes que deem uma solução imediata para o caso de Flávio.

Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência

print